sexta-feira, 19 de outubro de 2012

PÁGINA DESPORTIVA - RESULTADOS


OS ACONTECIMENTOS DESPORTIVOS DO FIM DE SEMANA

- FUTEBOL

A. F. Évora
Divisão de Honra
3ª Jornada
Bencatelense 1 - Sporting de Viana 6
Oriola 2 - Lavre 2
Borbense 2 - Perolivense 2
Santiago Maior 0 - Arraiolense 4
Escouralense 3 - Portel 1
Estremoz 0 - Redondense 1
Cabrela 2 - Calipolense 0.

1ª Divisão
Alcaçovense 1– S, Bartolomeu do Outeiro 1
S. Romão 2 - Canaviais 1
Santana do Campo 0 - Luso Morense 0
Corval 1 – Aldeense 1
Giesteira 1 – Brotense 1
Lusitano de Évora 0 – Arcoense 1
Valenças 3 – Fazendas do Cortiço 2.

FUTEBOL JUVENIL 

Distrital de Benjamins – 1ª Fase Série A
Terena 1– Atlético de Reguengos 10.
Santiago Maior 0 – Lusitano 8.
Distrital de Iniciados
Juventude 5– Terena 0.

PARTICULARES


Mina do Bugalho 1 - S, Domingos 2
Rosário 0 - Alandroal United 1

DIVULGAÇÃO - FUTEBOL NA MINA DO BUGALHO


quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Município de Alandroal Volta a Promover Sessão de Divulgação de Apoios ao Investimento - PRODER

Em mais um esforço para dinamizar a economia local e dar a conhecer aos empresários e investidores no concelho de Alandroal os apoios a que podem recorrer, a Câmara Municipal de Alandroal volta a promover uma sessão de divulgação das medidas de apoio prevista no PRODER.
O auditório do Edifício Sede do Município de Alandroal é o espaço escolhido para receber esta sessão, promovida em colaboração com as associações de desenvolvimento “Montes Claros” e “Monte”, que se realiza no próximo dia 22, pelas 17:30 horas.
A criação e desenvolvimento de microempresas, a diversificação de actividades na exploração agrícola, a conservação e valorização do património ou rural, ou ainda o desenvolvimento de actividades turísticas e de lazer, serão alguns dos temas a abordar nesta sessão. Ao longo da sessão haverá ainda tempo para recordar os apoios que o município de Alandroal presta a todos aqueles que queiram investir no concelho e para esclarecer possíveis dúvidas por parte dos interessados.  

Os beneficiários destas medidas de apoio podem ser pessoas singulares ou colectivas de direito privado, microempresas, autarquias locais, instituições particulares de solidariedade social (IPSS) ou instituições legalmente equiparadas, e organizações não-governamentais (ONG).

Participe! 

Fonte: Gab. Imp. Município de Alandroal.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Fortaleza de Juromenha Recebe Iniciativa “Perto dos Cidadãos Para Um Crescimento Sustentável “

Chamar a atenção para o estado da Fortaleza de Juromenha através de um levantamento de imagens e vídeos, que possam contribuir para o relançamento da economia local e para a defesa do património ambiental e cultural da região. É o objectivo principal desta iniciativa da Representação da Comissão Europeia em Portugal, que conta com o apoio do Município de Alandroal.

A acção vai decorrer ao longo dos dias 20 e 21 de Outubro, com especial incidência no dia 21, em que estarão na Fortaleza de Juromenha cerca de 50 participantes voluntários, entre alunos e professores do IADE - Instituto de Artes Visuais, Design e Marketing - e da Faculdade de Letras de Lisboa. Também os cidadãos são convidados a participar nesta iniciativa de defesa do património, na manhã do dia 21, Domingo. 

A iniciativa tem início previsto para as 10:00 horas, no dia 21, e conta ainda com o apoio da Junta de Freguesia de Nossa Senhora da Loreto, Grupo de Amigos de Juromenha e de empresários locais (Casas de Juromenha e Wadnature). 

Fonte: Gab. Imp. Município de Alandroal

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Danos em Habitações de Munícipes Motivam Corte de Duas Palmeiras

A Câmara Municipal de Alandroal vai proceder hoje ao corte de duas palmeiras, na Rua Dr. Manuel Viana Xavier Rodrigues, devido ao facto das suas raízes estarem a provocar danos em habitações próximas, o que levou inclusivamente a queixas por parte de munícipes. 

Raiz dentro de uma habitação.
 O sistema radicular das árvores (raízes) está bastante interligado com as condutas de água que passam no local, fazendo com que a sua transplantação para outro local não seja viável. Desta forma, a única solução encontrada para resolver o problema dos munícipes é o corte das árvores.
A operação será concluída até ao final do dia de hoje, no entanto, poderá implicar eventuais transtornos ao trânsito na Rua Dr. Manel Viana Xavier Rodrigues, pelo que solicitamos a compreensão de todos.  

Fonte: Gab. Imp. Município de Alandroal

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

POSTAGEM DESPORTIVA - RESULTADOS


OS ACONTECIMENTOS DESPORTIVOS DO FIM DE SEMANA

- FUTEBOL

A. F. Évora
Divisão de Honra
2ª Jornada
Bencatelense 2 - Cabrela 3
Sporting Viana 0 - Oriola 0
Lavre 0 - Borbense 0
Perolivense 4 - Santiago Maior 2 
Arraiolense 3 - Escouralense 2
Portel 1 - Estremoz 3
Redondense 2 - Calipolense 0.

1ª Divisão
S. Bartolomeu do Outeiro 2 - S. Romão 1
Canaviais 3 - Santana do Campo 1
Luso Morense 2 -Corval 1
Aldeense 2 - Giesteira 1
Brotense 2 - Lusitano 2
Arcoense 1- Fazendas do Cortiço 2
Valenças 0 - Alcaçovense 0.
 DESPORTO JUVENIL

Distrital de Iniciados
Terena 3 – CDC Santo António Geração Benfica 0.

Alandroal: Executivo Minoritário MUDA Vê Inviabilizado pela Oposição Plano de Reequilíbrio do Município e Adesão ao PAEL

Em 28 de Junho de 2012, por iniciativa do MUDA e tal com a Lei obriga, na Assembleia Municipal foi aprovada sem votos contra (votos a favor do MUDA e da CDU e abstenção do PS), a declaração do Estado de Desequilíbrio e Ruptura Financeira do Município. Com base nesta decisão foi preparado um Plano de Reequilíbrio do Município que permitia, em articulação com o PAEL (Programa de Apoio à Economia Local) pagar toda a dívida de curto prazo e reestruturar toda a dívida do município a 20 anos.
 O presidente da câmara municipal, João Grilo, justificou esta decisão como sendo a única via para que o município possa continuar a crescer sem ficar esmagado pelo peso da dívida e o último recurso face às dificuldades sentidas, com um conjunto de factores adversos demasiado pesados para serem resolvidos de outras formas:
Em primeiro lugar, o aumento exponencial do endividamento, ou do passivo, de 4 milhões de euros em 2001 para mais de 20 milhões em 2009 (valor que não continha os passivos não registados e os compromissos financeiros assumidos durante o ano de 2009 e que, a concretizarem-se, elevariam o passivo para cerca de 30 Milhões de Euros) e que deixou o município “à beira do precipício”!

Em segundo lugar, o facto de no final do mandato anterior o município ter recorrido a um empréstimo para saneamento financeiro das suas contas e que, manifestamente, foi insuficiente e desajustado face à dívida efectivamente acumulada. Consolidou uma dívida de curto prazo de 9,65 milhões de euros quando, na realidade – como o tempo e as auditorias vieram a confirmar – entre dívida não registada (mais de 5,5 milhões de euros integrados nos exercícios de 2009, 2010 e 2011), despesa realizada até ao final desse mandato e compromissos assumidos, a dívida de curto prazo não consolidada ultrapassava, nessa data, os 17 milhões de euros.

Em terceiro lugar, o município tem visto as suas receitas diminuir e em 2012 essa diminuição ultrapassa o meio milhão de euros, por força da diminuição das transferências directas do orçamento de estado (menos 300 mil euros), e redução das receitas do IMI (menos 200 mil euros) ao mesmo tempo que outras receitas própria da autarquia também têm diminuído acompanhando a situação de crise e abrandamento da economia nacional e local. 

Em quarto lugar, o aumento generalizados dos preços dos bens e serviços básicos necessários à actividade diária da autarquia, como sejam, os combustíveis, a água (concessionada desde 2008), a electricidade e o depósito dos resíduos sólidos urbanos.

Apesar de tudo isto, João Grilo destaca que o endividamento do município, que antes crescia mais de 2 milhões de euros ao ano, não aumentou nos exercícios 2010 e 2011. “Desde o início do mandato, trabalhámos com muito menos receitas, integrámos e pagámos muita dívida e, mesmo assim, melhorámos as respostas da autarquia e a reputação do município junto dos agentes locais e regionais, sem aumentar o endividamento. Pagámos obras que já estavam concluídas, estamos a concluir obras que estavam em andamento sem qualquer pagamento e estamos a lançar novas obras. Mas com a entrada em vigor da “Lei dos Compromissos e dos Pagamentos em Atraso” a dívida antiga é, a cada dia que passa um obstáculo maior”.

No entanto, e apesar da decisão da assembleia municipal, uma vez elaborado o plano de reequilíbrio, este veio reprovado em sessão de câmara, não tendo sido possível submetê-lo ainda à assembleia municipal.

João Grilo lamentou a falta de sentido de responsabilidade dos vereadores do PS e da CDU perante o momento que o município vive, uma vez que o que se está a procurar não é para beneficiar nenhuma força política no curto prazo, é antes para beneficiar todos os munícipes e garantir que o município pode ter perspectivas de crescimento enquanto paga as suas dívidas ao longo dos próximos 20 anos. “Agora os 4 milhões de euros do PAEL que eram para o Alandroal pagar dívidas vão para outra câmara qualquer!”

“Pedimos colaboração mas não recebemos contributos nem sugestões alternativas de ninguém. Vamos continuar a pedir contributos e estamos dispostos a integrar as alterações que forem necessárias para encontrar uma solução de futuro para o concelho. Os munícipes esperam de todos nós uma atitude construtiva.”

“De qualquer forma, é preciso que todos percebam – porque não vai cair dinheiro do céu! – que vamos andar todos a pagar em 20 anos os excessos daqueles oito. Uma parte dos recursos que deviam servir para as gerações futuras foram comprometidos nesses anos e é esse o maior “legado” e a maior herança dessa gestão. O endividamento compulsivo a pretexto da realização de obra é uma desonestidade moral e política e a menos imaginativa das desculpas para quem não sabe gerir” conclui o autarca.

Fonte: Gab. Imp. Município de Alandroal.

CCD TERENA - Apresentação do plantel benjamins


quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Jogo de preparação - Alandroal United Vs G.D.R. Rosário


Remodelação da Rede de Águas na Freguesia de Capelins

Município de Alandroal Aprovou Abertura de Concurso Para Remodelação da Rede de Águas de Montejuntos e Ferreira de Capelins



A Câmara Municipal de Alandroal aprovou no dia 10 de Outubro, em reunião ordinária, sob proposta do presidente, a abertura de concurso para o projecto de Remodelação e Ampliação da Rede de Abastecimento de Água a Montejuntos e Ferreira de Capelins.

Num investimento de 466.889€, o projecto é uma das prioridades definidas pelo actual executivo no “Documento de Enquadramento Estratégico para Águas e Saneamento”, que visa reformular a rede de abastecimento de águas e saneamento do concelho, uma rede profundamente envelhecida e sem intervenções de fundo nos últimos 30 anos. 

O projecto será agora candidatado a fundos comunitários no âmbito do Programa Operacional Valorização do Território (POVT) – Ciclo Urbano da Água. No âmbito desta estratégia o município tem já em fase de adjudicação o projecto de Remodelação e Ampliação da Rede de Abastecimento de Águas das Aldeias de Pias, Casas Novas de Mares e Aldeia da Venda e em elaboração projectos técnicos para outras localidades do concelho.

Fonte:Gab. Imp. Município de Alandroal.

DIVULGAÇÃO - Música ao vivo no Aldrabar.


quarta-feira, 10 de outubro de 2012

XVIII LIGA FANTÁSTICA AL-SPORT

Classificação da 3ª jornada da XVIII Liga Fantástica Al-sport ´12/13, que se disputou à 6ª jornada da Liga Zon-Sagres. 


A 3º jornada  da Liga  fantástica Al-sport ficou marcada pelo clássico Porto Vs Sporting e pelo empate caseiro a 4  do Braga.  Mas o mais beneficiado por todas as incidências, foi o "rookie" desta Liga. O Nuno Mendes, conseguiu no seu primeiro ano na liga e logo à 3ª jornada, uma brilhante vitória numa jornada, feito ainda não alcançado por muitos treinadores que já cá anda há anos...

O pódio semanal ficou assim ordenado:

1º Nuno Mendes com 52Pts.O Nuno ficou empatado com o Bekas, mas alcançou o lugar mais alto do pódio porque tem um orçamento mais baixo. Já agora de referir que o Nuno construiu a sua equipa só com jogadores do Porto (7) e Benfica (4). Deu-se bem com uma miscelânea de "inimigos".

2º Bekas com 52Pts. O Bekas está a ser a mais agradável surpresa desde inicio de liga. E a sua aposta no V. Setúbal continua a faturar.

3º  Troco com 51Pts. Irreconhecível este lampião!!!!  Construiu uma equipa com 9 jogadores do Porto! Esta atitude é o reconhecimento da impotência dos lampiões perante o morcões. Mas o que é certo é que ele na liga está a faturar.
Classificação acumulada top ten:
1º Rosinha com 133Pts.
2º Bekas com 127Pts.
3º Bastos com 125Pts.
4º Paulo com 120Pts.
5º P.T. com 117Pts.
6º M. Carlos com 115Pts.
7º Loca com 113Pts.
8º Troco com 112Pts.
9º Jorge com 111Pts.
10º Miguel com 11Pts.

O Rosinha continua impávido e sereno na sua poltrona e olhando altaneiro para os seus súbditos. De salientar a subida ao 2º lugar do Bekas e as entradas no top ten do M. Carlos e do Miguel.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Freguesia de São Brás dos Matos - Parecer Contra a Extinção de Freguesias.

 No dia 07/ 09 / 2012 a Assembleia de Freguesia de São Brás dos Matos e a Junta de Freguesia assumiu uma posição inequívoca contra a extinção, fusão ou agregação de Freguesias.

 

Proposta de pronúncia da Junta de Freguesia aprovada em Assembleia de Freguesia de 07/09/2012:
Pronúncia da Assembleia de Freguesia de São Brás dos Matos sobre a «Reorganização Administrativa Territorial Autárquica», nos termos do nº 4 do artigo 11º da Lei nº 22/2012, de 30 de maio.
Os eleitos com assento na Assembleia de Freguesia de São Brás dos Matos, chamados a pronunciarem-se no dia 7 de Setembro de 2012, em sessão extraordinária deste órgão, sobre a lei nº 22/2012 de 30 de maio que aprova o regime jurídico da reorganização administrativa territorial autárquica e que obriga à reorganização administrativa dos territórios das Freguesias, afirmam a sua oposição à extinção de qualquer freguesia, rural ou urbana, tendo por base os seguintes pressupostos:

- Desde 1976 que as Freguesias passaram a ser encaradas como entidades dotadas de identidade e autonomia próprias, com competências e meios financeiros próprios e capacidade para organizarem os seus serviços. Ao longo destes 36 anos, as Freguesias afirmaram-se como entidades administrativas que exercem localmente o poder que está mais próximo dos cidadãos e têm respondido com um governo de proximidade à burocracia e ao distanciamento entre a administração e os cidadãos;

-As Freguesias, urbanas e rurais, têm ao longo da história da nossa democracia desempenhado um inegável papel de desenvolvimento sócio-cultural das populações e constituíram-se como pólos de desenvolvimento local, de coesão social, de sustentabilidade dos territórios, dinamizadoras da participação cívica dos cidadãos, sem se endividarem e sem terem contribuído para o agravamento do deficit das contas públicas. Pelo contrário, tem sido cabalmente demonstrado que as Freguesias apresentam ganhos de eficiência na ordem de 1 para 4 representando as 4259 freguesias um peso de 0,098 % do orçamento do estado;


- Em Mina do Bugalho a Junta de Freguesia formou-se á 27 anos. Esta reorganização traduziu-se na criação de novas Freguesias que se implantaram em territórios de expansão do Concelho do Alandroal e que hoje conta com 331 eleitores e 367 habitantes. Ao longo destes 27 anos nenhuma avaliação conduziu à conclusão de que era imperativo que se procedesse a uma nova reorganização do território desta Freguesia;

- Ao longo do último ano e meio, desde o anúncio da reforma, os eleitos locais assumiram frontalmente uma posição de defesa das Freguesias e das populações, traduzida em moções apresentadas nas Juntas de Freguesia, Assembleias de Freguesia, Câmara Municipal e Assembleia Municipal, em intervenções públicas nos órgãos de comunicação social, em diversos eventos que decorreram quer local quer nacionalmente, com particular destaque para as inúmeras deliberações aprovadas nos órgãos das Freguesias, para a participação nos encontros promovidos pela Anafre Distrital e Nacional cujas conclusões apontaram sempre para a recusa em aceitar a extinção das Freguesias, e para a Manifestação Nacional em Defesa das Freguesias durante a qual 200 mil pessoas defenderam as Freguesias da anunciada extinção;

- Os eleitos locais sempre defenderam que a proposta de extinção de freguesias deveria ter em conta a vontade das populações, expressa de forma direta ou através dos órgãos das Freguesias, e lamentam que a lei não tenha permitido que Juntas e Assembleias de Freguesia se pronunciassem, limitando-as à emissão de pareceres, e remetendo para as Assembleias Municipais o poder de se pronunciarem sobre a extinção das Freguesias. Esta lei apresenta um atestado de menoridade às Freguesias que não são subalternas de outros órgãos locais porque foram eleitas por sufrágio direto na observância do princípio da descentralização democrática da administração pública e do princípio da aproximação dos serviços públicos às populações. A sua legitimidade emana das eleições e da soberania popular, tal como as Assembleias Municipais, razão pela qual reputamos de incompreensível que seja este órgão a pronunciar-se sobre a extinção das Freguesias;

- A aplicação da lei nº 22/2012 de 30 de maio conduziria:

a) A um empobrecimento democrático, traduzido na supressão do número de eleitos;

b) À perda da representatividade política que hoje está assegurada pela proximidade entre eleitores e eleitos e pela partilha de um território, de uma identidade e de um sentido de lugar;

c) A um atentado ao emprego pela não clarificação do que acontecerá aos serviços e aos funcionários que hoje prestam serviço nesta Freguesia;

d) A um enfraquecimento da afirmação, defesa e representação dos interesses das populações o que, inevitavelmente, provocará o aumento das assimetrias e a perda de coesão territorial, social e económica. Contrariamente ao que é afirmado pelos defensores da lei nº 22/2012 de 30 de maio, os processos de aglomeração são adversos à coesão. Juntar territórios mais fortes, mais ricos e com mais população, com outros mais fracos e menos populosos, traduzir-se-ia em mais atração para os primeiros e em mais abandono para os segundos que sofrerão menos investimento local. Menos coesão para quem menos pode e para quem menos tem, abandono das populações, aumento do distanciamento face aos serviços, e desertificação ainda maior de várias regiões do nosso concelho, seria o preço a pagar pela extinção das Freguesias;

e) À perda da identidade histórica que não está assegurada nesta lei, pelo contrário, a nova freguesia passaria a ter uma designação que englobaria todas as Freguesias agregadas. Este procedimento não só não preserva como troça com a identidade histórica;

f) Ao previsível aumento dos custos pois os serviços realizados à distância seriam mais caros e mais ineficazes;

-Pelo exposto concluímos que, enquanto eleitos locais e representantes das populações, é nosso dever prosseguir a defesa das Freguesias contra a anunciada extinção, disfarçada de agregação, que se encontra plasmada na lei nº 22/2012 de 30 de maio.

Mina do Bugalho, 07 de Setembro de 2012
Os Eleitos da Assembleia de Freguesia de São Brás dos Matos

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Alandroal - Exposição e Feira do Livro Temáticas Assinalam Implantação da República


A partir de hoje, e até ao próximo dia 31 de Outubro, não pode deixar de passar pelo Fórum Cultural de Alandroal e visitar a exposição temática “ A República”, promovida pela Câmara Municipal de Alandroal com o objectivo relembrar um dos acontecimentos mais marcante da nossa história, a Revolução Republicana de 1910.
Também hoje tem início uma Feira do Livro subordinada ao tema “República”, onde poderá comprar, ou simplesmente conhecer, algumas das mais recentes obras literárias da actualidade. Este certame estará patente no Fórum Cultual e Transfronteiriço de Alandroal até ao próximo dia 12 de Outubro e pode ser visitado entre as 08:30 e as 20:30h.  

Fonte: Gab. Imp. Município de Alandroal

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

XVIII LIGA FANTÁSTICA AL-SPORT

Classificação da 2ª jornada da XVIII Liga Fantástica Al-sport ´12/13, que se disputou à 5ª jornada da Liga Zon-Sagres.
Esta semana é um pouca à pressa e com o fim de semana comprido à porta, não há tempo para grandes considerações, sendo assim vamos diretos ao pódio semanal:

1º. - LOCA - 47 PONTOS
2º- - JORGE - 44 PONTIOS
3º. - GUERRA - 40 PONTOS

Eu não tenho tempo para considerações, mas deixo-vos aqui as considerações enviadas pelo Provedor Gomes, quando me enviou a classificação:

EXMOS. SENHORES, PRESIDENTE, PROVEDORES, E OUTROS

MUITOS BONS DIAS!!!

COMEÇO PELA MINHA NÃO CONCORDÂNCIA COM OS JORNALEIROS DO RECORD EM NOMEAREM O LIMA PARA MELHOR JOGADOR DA JORNADA !

NA MINHA MODESTA OPINIÃO DEVERIA SER CONSIDERADO COMO MELHOR O RIOAVENSE TARANTINI!! POR TODAS AS RAZÕES .... ( NÃO TENHO TEMPO PARA
AS ENUMERAR...!!!) E MAIS UMA -  A ÚLTIMA... DEVERIAM CONSIDERAR  OS GOLOS EM SI, ( DO TARANTINI, E NÃO AS OFERTAS QUE FIZERAM AO LIMA!!!

POSTO ISTO... ADIANTE!! 
 
Classificação acumulada:
 
1º Rosinha com 87Pts.
2º Loca com 83Pts.
3º Jorge com 82Pts.
4º Bastos com 78Pts.
5º Bekas com75Pts.
6º Paulo com 74Pts.
7º N. Coelho com 74Pts.
8º P.T. com 73Pts.
9º N. Roma 72Pts.
10º Jeremias 71Pts.

Rosinha mantém o 1º lugar e grande subida do Loca até ao 2º posto.

Alandroal United - Jogo apresentação


ALANDROAL - Agenda Cultural Outubro de 2012

Já está disponível a Agenda Cultural para o mês de Outubro, onde o destaque vai para as comemorações do mês do Idoso, com a realização de ciclos de cinema, passeios convívio ou aulas de ginástica. Outubro será também um mês dedicado à República. Entre os dias 8 e 30 deste mês não perca a oportunidade de se deslocar ao Fórum Cultural de Alandroal e visitar a exposição dedicada a este tema.  


quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Autarquia e Assembleia Municipal de Alandroal Declaram-se Contra Extinção de Freguesias no Concelho

Na sequência da recente entrada em vigor da Lei nº22/2012 de 30 de Maio (Lei da Reorganização Administrativa), que prevê a extinção/agregação de freguesias, ignorando completamente a realidade concreta das populações, a Assembleia e a Câmara Municipal de Alandroal aprovaram, por unanimidade, uma tomada de posição contra esta proposta do Governo. 

Considera-se que o mapa administrativo do concelho de Alandroal está bem organizado e implantado no território, não existindo há centenas de anos qualquer conflito interno ou com concelhos vizinhos, quando aos seus limites, sendo um concelho com apenas seis freguesias, todas elas também com limites universalmente aceites e que em muito contribuíram, e contribuem, para o desenvolvimento e progresso das localidades e populações dos seus territórios.
 
Como argumentos de suporte a esta decisão, a Assembleia e a Câmara Municipal de Alandroal recordam que as Juntas de Freguesia representam um imprescindível suporte de coesão territorial, são os órgãos eleitos democraticamente de maior proximidade com os cidadãos e, em territórios de baixa densidade populacional e vasta área geográfica, como é o caso do concelho de Alandroal, são um dos principais suportes de segurança e bem-estar das populações. 

Além disso, o peso das 4259 Juntas de Freguesias do país no Orçamento de Estado é de apenas 0,098%, sendo por demais evidente que a extinção de Juntas de Freguesia – em territórios do interior – em nada contribuirá para solucionar os problemas que o país enfrenta. Assim, a Assembleia e a Câmara Municipal de Alandroal defendem a manutenção das actuais seis freguesias do concelho, sem qualquer alteração.

Fonte: Gab. Imp. Município de Alandroal

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Alandroal - Período de Candidatura a Bolsas de Estudo Está Aberto

Desde ontem, e até ao próximo dia 30 de Novembro, está aberto o período de candidatura a bolsa de estudo, para os alunos do concelho que frequentem o ensino superior. O Regulamento Municipal de Concessão de Bolsas de Estudo, e o formulário de candidatura, podem ser consultados ou descarregados na área da Acção Social do site da Câmara Municipal de Alandroal, em www.cm-alandroal.pt
  Refira-se que, com a atribuição de bolsas de estudo, o Município pretende contribuir para a formação de quadros técnicos superiores residentes na área geográfica do concelho, potenciando um desenvolvimento social mais equilibrado e sustentável do nosso território, ao nível económico e cultural, ao mesmo tempo que ajuda a garantir a continuação dos estudos a alunos economicamente carenciados.

Fonte: Gab. Imp. Município de Alandroal

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Terena, o esclarecimento de um municípe

 Na sequência da Assembleia Municipal de Alandroal do passado 28 de Setembro e no seguimento do contencioso que família  Solas intentou contra o Município de Alandroal, por causa de uma desafectação de terreno em Terena, enviou uma leitora, devidamente identificada pelo administrador do blogue um comentário com o seguinte teor:

Gostaria de esclarecer algumas questões que foram impedidas na Assembleia. 

Começo por fazer uma cronologia. Junho-Assembleia onde foi colocada a desafectação de bem do domínio público. Inicio de Agosto- Envio de correspondência para o Presidente de Câmara e Presidente de Assembleia a solicitar esclarecimentos sobre a desafectação. Também no inicio de Agosto- Envio de abaixo-assinado contra a desafectação. Meados de Agosto-Família que não concorda com desafectação constitui mandatário e é colocado um processo contencioso. 28 Agosto-Foi recebida carta do Presidente de Assembleia que acusava a recepção de abaixo-assinado e em como seria dado conhecimento aos deputados municipais. 

Nota: O envio de abaixo-assinado foi posterior á correspondência onde eram pedidos esclarecimentos. 

Agora, na assembleia de 28/09 quando o Rosinha questionou se as famílias tinham sido informadas e questionou duas vezes, foi-lhe respondido que sim. Mentira!! A justificação apresentada foi que o esclarecimento tinha sido dado ao advogado. Mas pergunto eu...se o pedido de esclarecimento foi anterior ao abaixo-assinado, porque responderam á recepção do mesmo e não do pedido de esclarecimento?? No mínimo estranho. Passo também a fazer referencia á intervenção do deputado Nuno Mira que questionou se face á desafectação já existia alienação. Ao que o Ex.mo Sr. Presidente da Câmara respondeu que não (1ª escorregadela). 

Quando houve a possibilidade do público intervir houve uma questão directa ao Sr. Presidente de Câmara - O porquê dessa desafectação e qual a finalidade? - O Sr. presidente respondeu que certa família lhe tinha pedido esse pedaço de terreno para construção de garagem. 

Ora bem, parece-me existir aqui uma contradição. Há ou não alienação? Está bem patente que sim. Que falta de rigor tem o Sr. Presidente! Mas mais grave ainda é..que aquando colocação da proposta na assembleia de Junho, o Sr. Presidente disse que todas as famílias estavam de acordo, o que ele sabe muito bem que é mentira. A família prejudicada com a desafectação foi por inúmeras vezes, ANTES da assembleia de Junho mostrar o seu descontentamento com o boato de uma possível construção e pedir uma solução. Nada foi tratado, o problema arrastava-se e houve necessidade de constituir advogado. Até porque esta família era, de cada vez que falava com o Presidente, pressionada para aceitar também uma parcela de terreno. Nunca foi aceite esse suborno. 

Houve votação sobre a proposta, votação que foi induzida ao erro sobre o voto. Acreditou-se na boa fé do presidente?? Mas que boa boa fé?? Apenas se pede algo muito simples...rigor, imparcialidade e justiça. É que para além, desta ser uma questão histórica e cultural também é uma questão política. E tal como foi dito na assembleia....um voto pode decidir muito! 

Assino: TerenaViva

Mina do Bugalho - Perigrinação a São Brás dos Matos



A. J. Santiago Maior - III Passeio Equestre


Loading...