quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Alandroal: Obra de Requalificação do Interior do Castelo Segue a Bom Ritmo

Os trabalhos de prospecção arqueológica marcaram as primeiras fases da obra e revelaram, tal como era esperado, que o espaço designado como “antigo cemitério” serviu, de facto,  esta finalidade desde muito cedo na história do castelo do Alandroal. De entre os objectos encontrados neste local destacam-se algumas “estelas funerárias” que estão agora a ser estudadas.


Para além de um “silo” comum com cerca de 2 metros de diâmetro, foram ainda identificadas algumas estruturas correspondentes a “muros” ou fundações de antigos edifícios com pouca monumentalidade e difíceis de classificar, que serão novamente recobertos e preservados no decurso da obra.

Para além do obrigatório acompanhamento arqueológico a cargo da autarquia, a obra está a ser acompanhada pelos técnicos da Direcção Regional de Cultura/IGESPAR que na última visita técnica efectuada, em 23 de Julho, se mostraram plenamente satisfeitos com as metodologias e soluções até aqui adoptadas e com o andamento geral dos trabalhos.

Importa salientar que esta obra não se iniciou sem que estivesse assegurado o parecer favorável das entidades competentes, conseguido após várias reuniões de articulação entre os técnicos da Direcção Regional de Cultura, os projectistas e os técnicos da autarquia.

Todos os achados mais relevantes, assim como o registo fotográfico e em vídeo desta fase da obra serão, em fase posterior, reunidos num Centro Interpretativo do Castelo do Alandroal, um pequeno núcleo museológico dedicado à história deste imóvel classificado como monumento nacional e que será criado no interior do mesmo.

A intervenção agora em curso corresponde apenas à primeira fase de um plano da autarquia para a total recuperação e dinamização cultural, social e turística do castelo do Alandroal que passa, nas fases subsequentes, pela revitalização do restante espaço público (ainda propriedade privada), pela recuperação do “caminho de ronda”, acesso à torre de menagem e instalação do centro interpretativo.


Fonte: Gab. Imp. Município de Alandroal.

13 comentários:

Anônimo disse...



Muito bem. E as janelas e portas novas na casa destruída do Bulhão Martins também é uma bela ideia (para a fotografia, claro). É lá que vai funcionar o novo Centro Interpretativo? E que vai comandar mais esse "tacho"? Isto é chamar estúpidos a todos os alandroalenses!

Anônimo disse...

Sendo, esta obra um pouco diferente de outras, deveria ter um acompanhamento por pessoas qualificadas e nao por voluntários e que nao tenham aspirações a tachos no municipio, assim não haveria tantas polémicas

Anônimo disse...

O senhor presidente (Sr. Grilo) devia esclarecer os municipes qual a for-ma de pagamento efetuada aos tecnicos, que acompanham a obra do castelo.
Sabendo, que que o sr. presidente não é de irregularidades de certeza que nao é recibos verdes. Essa modalidade o sr. presidente já algum tempo acobou com eles,
ou agora já é legal.

Anônimo disse...

Depois da obra concluida, os alandroalenses só pedem ao Sr. Presidente que não venda o castelo, boato que corre na vila.

Anônimo disse...

fiquei muito triste, de ter conhecimento que este ano não vai ter a abitual procisão de nossa sra da Condeisão devido as obras no castelo, assim como eu muitas pessoas nesta data vamos para fora com uma grande dor, mas não podendo fazer nada.

Anônimo disse...



O que a Cãmara e os seus incompetentes amigos fizeram é um crime contra o património (pelos vistos milenar) desta terra. Em Espanha arriscavam ser presos. Aqui certamente terão algum prémio. E o povo cala-se porque o tornaram um ignorante.

Anônimo disse...

NO-EM ALANDROAL, O QUE INTERESSA, É O TAXXO, MAS O TAXXO, TEM QUE SER CONSERVADO!!!!
QUEM TEM TAXXO É REI, QUEM NÃO TEM TAXXO NÃO É NADA???

Anônimo disse...

Só para informar os amigos oposicionistas com um desmesurado interesse no património histórico (viu-se num passado recente) que os tiros vão todos sair pela culatra. Se Deus quiser, cá estaremos para ver...

MuDA

Anônimo disse...






Mas esta gente, mesmo com esta perda irreparável do património, só pensa em política? Desculpem, ele não precisa de quem o defenda, mas eu SEI que nenhum interesse político move o J. Cardoso. Agora quem defende o Alandroal tem que pertencer a uma dessas duas anedotas que disputam o poder? Tenham juízo.

Varandas disse...

Aos leitores,

Manuel Pedro Nunes e outros anónimos, volto a relembrar a politica de comentários deste blogue:

A comentadores identificados só é permitido fazer contraditório desde que o contestante esteja também devidamente identificado. Essa identificação só é válida se o contestante fizer o comentário com a conta aberta do gmail ou enviando o comentário directamente para o meu e-mail: alsport.varandas@gmail

Agradeço compreensão da vossa parte.

Varandas.

Anônimo disse...

Completamente de acordo com o comentador de 17/08/2012 00:45:00. Esse interesse súbito no património deixou-me desmesuradamente estupefacto. E antes, como era?

Anônimo disse...




Nas porque antes nao se preocupavam com o património, agora também nao o devemos fazer, essas cabeças só estao cheias de política barata, sem uma única ideia, sem um pensamento nesta vila. Pobres de espírito...

Anônimo disse...

E quem é que agora não se preocupa com o património? Só se forem os tais pobres de espírito que antes nunca se preocuparam. Diga em primeira mão aqui no alandroalandia os graves erros que estão a ser cometidos para os alandroalenses ficarem a saber. Justifique então essa sua afirmação com a verdade dos factos. Fico à espera...

Loading...