sexta-feira, 3 de agosto de 2012

CASTELO DE ALANDROAL MOSTRA PARTE DA SUA HISTORIA

Por força das obras de requalificação dos Castelo de Alandroal, teve que se fazer uma prospecção arqueológica no interior do mesmo e sem surpresa nenhuma, pelo menos para mim, essa prospecção trouxe à luz do dia significativos achados arqueológicos.

Esses achados estão agora a gerar alguma polémica entre os Alandroalenses, uns acham que não têm grande relevância, outros acham que deviam ser aproveitados para mostrar um pouco da nossa história. Em baixo algumas fotos, poucas, para o muito que já foi achado.
Á esquerda a cruz dos Templários, à direita (possível) cruz visigótica.
Para situar os leitores, primeiro tenho que dizer que estas escavações estão a ser realizadas no quintal do relógio, onde, sabe-se foi o cemitério da vila de Alandroal até cerca do fim do século XVIII. Mas agora com a descoberta de cerca de uma dezena destas pedras tumulares, sabe-se que o cemitério data pelo menos da idade média, altura dos Templários e a ser verdade que uma das pedras é Visigótica, poderá o cemitério remontar à Alta Idade Média, terá sido portanto um cemitério que durou mais de 1200 anos. Estão ali enterrados mais de mil anos da história do Alandroal, que merecem ser estudados.

Quintal do relógio e as fundações de uma casa monumental
Estas duas fotos de cima mostram os alicerces, parte de paredes e chão daquilo a que eu julgo que foi a capela do cemitério, também há quem ponha a hipótese de ter sido uma mesquita. Ninguém sabe ao certo, por isso deveria ser objecto de um estudo mais aprofundado.

Pode ter sido durante a invasão árabe convertida a mesquita, mas foi com certeza uma igreja. Sabe-se que todos os cemitérios tinham uma igreja, sabe-se que a actual igreja Matriz é posterior aos Templarios, há túmulos quase intactos entre as fundações, há uma fundação robusta num dos limites da fundação, o que leva a crer ter sido a base da torre sineira, este edifício foi com toda a certeza a primeira igreja da Vila do Alandroal. É de todo razoável pedir que não a voltem a enterrar novamente, poderá ser uma mais valia para o projecto que está a ser desenvolvido no castelo em termos turísticos.

Esta foto em cima, mostra parte do chão da casa, no entanto pararam de escavar aqui e não se sabe ainda o tamanho da sala, nem se o chão é todo em tijolo.

Estes dois esqueletos acima, quase intactos, foram descobertos em túmulos dentro das fundações da casa, o que leva a crer, ter sido alguém importante para a altura. Uma curiosidade, estas pessoas mediam cerca de 1,80mt, o que na altura para um latino, era obra... Se é que eram latinos! Não se esqueçam que há quem defenda que também estiveram aqui os Visigodos. Já foram achados, dezenas de esqueletos quase inteiros, mas ossos soltos, são ás centenas, ou não tivéssemos a escavar um cemitério.

Noutra parte do castelo, também já foram encontrados silos, tal como já tinham sido encontrados na praça, mas tal como os da praça também estes no castelos foram novamente subterrados, por isso já não consegui fotografar.  Mas eu continuo a defender a importância dos silos, para se conhecer a forma como os nossos antepassados viviam e sobreviviam. Não se esqueçam que era nestes reservatórios subterrâneos que antigamente se guardavam todo o tipo de alimentos, sólidos e líquidos. E sendo estes silos ás dezenas, só nesta área, dá para calcular também o grande aglomerado que aqui haveria.

É por tudo isto que eu defendo que todo este espólio deveria ser objecto de um estudo aprofundado e não me restam dúvidas que tudo isto bem preservado, seria uma mais valia para o turismo no Alandroal. O castelo por si só, não trás grande atractivo, mas com estas mais valias, vale com toda a certeza ser visitado por qualquer visitante que por aqui passe.

Há quem defenda que a obra do castelo seja embargada, mas eu não vou tão longe, até porque em parte sou um defensor desta obra. Defendo que a obra continue, mas que todos estes aspectos sejam tidos em conta e se o projecto tiver que ser alterado, para se aproveitar tudo isto, então que seja então alterado.


Quintal privado dentro do castelo
Ainda me falta falar na parte do castelo que é particular e que está a por em perigo pessoas e bens, mas disso falarei para a semana.

20 comentários:

Carlos Damas disse...

Estou de acordo com a ideia do Rosinha, tudo o que é histórico devia ficar à vista, porque não é só o castelo que é histórico, tudo o que foi achado e servi-o para os construtores da história actual, sobreviverem, na realidade os novos achados devia ficar aos olhos de todas as pessoas, até aqueles que já visitaram o castelo, por ventura se um dia voltassem encontravam nova história já descoberta.

Anônimo disse...

A câmara há muito que devia ter aberto o lugar de arqueólogo para os quadros da autarquia. Se for pessoa honesta, responsável e trabalhadora de certeza que é uma mais valia para o desenvolvimento sócio-cultural do concelho. Sobre a obra de requalificação do castelo, penso que deveria ter sido feito um estudo prévio do sítio a sofrer intervenção antes mesmo de os trabalhos se iniciarem. As ossadas sabia-se aí existirem, pois até finais do séc. XVIII esse espaço interior do castelo serviu como cemitério. Mas, sendo o castelo uma fortaleza cuja sua última fase de construção remonta ao ano de 1298, era mais que provável aí se poderem encontrar vestígios de outras épocas. Por isso defendo e acho uma medida acertada a câmara municipal do Alandroal vir a ter nos seus quadros pessoa competente para trabalhar e desenvolver o património histórico do concelho. Esse, a meu ver, é o primeiro grande passo a ser dado para um trabalho sério e com continuidade nesta área cultural.

Anônimo disse...

A preocupação deste comentador é um lugarzinho no quadro.

Vai lá vai

Anônimo disse...

Hoje mesmo estive no castelo a ver as escavações que o Sr. Rosinha fala. `São de uma importância fundamental para a história desta terra, que, afinal só tem turismo e gastronomia para vender. Quero no entanto alertar o Rosinha e todos os alandroalenses que se deviam interessar por conservar o seu passado que já foi cometido um crime irrecuperável nas escavações. Foi aberta uma vala a toda a largura daquele espaço que destruiu esse piso em tijoleira que está na foto. Por favor vá lá confirmar Rosinha. Como é possível que os arqueólogos presentes permitam tal destruição? Quem é o responsável agora? Sim é hora de repensar urgentemente aquele projecto ou então, se as autoridades continuarem cegas, porque não uma providência cautelar que os faça deter a obra e o CRIME que vão fazer ao tapar tudo com calçada. Não deixe cair este assunto Sr. Rosinha em nome do Alandroal.

Anônimo disse...

Eu também vi com os meus olhos

Anônimo disse...

Cá para mim, pela obseção deste presidente sobre a divida do Nabais, ainda irá encontrar parte desta escondida, num destes túmulos!!!

Abr...

Anônimo disse...

Os achados arquelógicos têm o valor que têm numa altura destas. Importante sim é avaliar os problemas da população, resolver-lhes os problemas sérios que atravessam e fazer com que tenham qualidade de vida, agora andar a brincar às escavações meus amigos não tratem assim os dinheiros públicos, porque assim o buraco vai continuar a aumentar e não tem fundo. Mesmo que este tipo de obras seja financiado com boa percentagem, o município tem sempre de suportar o resto, e vai pagá-lo de onde? A acção social é muito mais importante que tudo isto, vamos aproveitar os pouco tostões que nos enviam todos os meses e ajudar as pessoas que têm a corda ao pescoço. Aproveitem a ideia sff

Anônimo disse...

Acrescentaria ao comentário sobre a existência nos quadros (?) da Câmara de 1 Arqueólogo(a) que lhe fosse acometida, em ordem de primeiríssima "prioridade", o estudo da posse "privada" de 1/3 da área do Castelo...
Pesquisar até ao OSSO toda a documentação de base a que tal posse foi permissiva...
Não se entende, e deve ser merecedor de avaliação urgente, de que como é que este património CLASSIFICADO DE INTERESSE NACIONAL esteja vinculado "ad eternum" a privados com residências, piscinas, espaços de lazer e outras coisas mais...
Aliás, por alguma razão..., parte do pano de amuralhamento não se encontra recuperado...
Neste vigésimo primeiro século da era ainda em vida não é entendível que QUALQUER VISITANTE DO PATRIMÓNIO CASTELO se confronte com este cenário MIXTO.

Engº. Desactivado

Anônimo disse...

Na verdade não percebo muito deste assunto, mas atrevo-me a opinar: porque será que noutras terras se tenta por a descoberto tudo o que seja história para tentar chamar o turismo interessado na mesma e outros tantos só por curiosidade, e, nesta terra se tenta fazer precisamente o contrário? O que terá mais interesse? Qual o futuro que se pretende para este castelo? Parque de festas? Mas, e se na verdade os achados são tão valiosos o que se passa com os arqueólogos representativos dos monumentos nacionais? ou não andam aí?
Sei que sou inculto nestas coisas mas será que os monumentos só lhes preocupa uma obra que um qualquer particular faça na área do castelo, para recuperação de um imóvel e estas coisas não interessam?
Ou será que os arqueologos têm algum comprometimento com os donos da obra?

Anônimo disse...

Pois pá, interessem-se como no tempo do Nabais que mandou avançar obra no recinto da Boa Nova sem acompanhamento. Depois de aparecerem as primeiras caveiras humanas, que um iluminado presidente da junta de freguesia indo ao local afirmou tratar-se de ossadas de ovelhas, é que a obra parou. À conta desta situação foi levantado processo disciplinar a um trabalhador da autarquia por este se ter recusado a prosseguir com os trabalhos. Tudo direitinho e certinho!

Alguém atento porta Nº10 disse...

É com este historial de "Comandantes" do concelho que nós temos caminhado para abismo do esquecimento!A única vez que se tentou alterar o rumo com alguém (de fora do concelho com provas dadas)acabou por ser atraiçoada pelos membros da sua própria equipa!Gostava de acreditar como o "Rosinha" mas infelizmente concluo que somos orientados por por pessoas com pouca competência, visto que mudam os nomes e referências politicas mas, a desorganização e a falta de sentido de oportunidade continuam a imperar!

Anônimo disse...

Olhe que não, olhe que não!!!!!!!

Anônimo disse...

Alguém me sabe dizer para que planeta imigrou o sr, Joáo Nabais? Quer voltar a ser presidente e não percebe que se embargar a obra do castelo, além de não deixar destruir o nosso passado, tem aqui uma óptima oportunidade política? E a CDU, continua a ser a grande defensora do atraso?

Anônimo disse...

E tu com essa conversa defendes qual passado? Duvido muito que seja aquele que estou a pensar...
A ser o outro passado recente o teu comentário só pode ser humor político. Adiante...

Anônimo disse...

Contratem o Sherlock Holmes mais o obediente Watson que se não for a bem vai à pancada, para descobrir tudo à lupa. Há umas modernas com raio x dá para ver tudo até ao século x antes do cristo. Não sei do que estão à espera.....

Anônimo disse...

Só mais uma nota, quando me referia ao Blogue do amigo Xico Manel deveria também ter referido o do amigo Varandas, pois é através dos dois que vou acompanhando a realidade da nossa terra

Anônimo disse...

Não que a requalificação do castelo não seja importante, mas pelo amor de Deus nesta altura não.

Com famílias a passarem quase fome no nosso Concelho, com acessibilidades deficientes e que fazem diariamente a vida das pessoas mais difícil, com locais no Concelho onde a agua não chega com pressão para se tomar um duche e às vezes não chega mesmo, entre muitas outras coisas básicas e prioritárias como pagar-se a quem se deve, não é altura para coisas importantes mas supérfluas como maquinas de cinema 3 d e requalificações.

Este autarca deve gostar de brincar ao Indiana Jones, de facto o mandato está a chegar ao fim e não pode acabar só com o término das obras do outro, tem que fazer alguma coisa de raiz, nem que para isso prejudique todo um Concelho deixando para 2 plano o que deveria ser prioritário, não ajudando os seus Munícipes nem o desenvolvimento do Concelho do Alandroal.

Tudo igual, mudança apregoada nenhuma, trabalhasse exclusivamente para o voto e com o finto no poder, e o Alandroal está morto, sem vida nenhuma ao contrário do muito apregoado por causa desta cambada de aprendizes de políticos e maus gestores de uma incompetência a toda a prova.

Do Algarve mas sempre atento
Carlos Maria

Anônimo disse...

Do Alentejo tudo bem espremido
como sempre não se aproveita nada
Carla Maria

Anônimo disse...

Espreme bem ke ainda aproveitas alguma coisa!

Anônimo disse...

Grande comentario o do Sr. Carlos Maria, em poucas palavras e simples, só diz verdades, que como é claro custam a engolir a muita gente.
Um comentário digno de destaque caro Sr. Rosinha, ou por aí as verdades já não são importantes.

Loading...