segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

ANTIGAS BANDAS DE BAILE DE ALANDROAL

Por causa da "Gala Musical" que se vai realizar no sábado que vem, muito se tem falado nas antigas bandas, conjuntos ou orquestras de Alandroal.

Como a polémica até tem sido grande, e com muitos leitores a dizerem-se conhecedores de tais bandas e admiradores dos seus executantes, deixo aqui dois desafios, como se chamavam estas duas bandas e como se chamavam os seus executantes?

Agora, já com a colaboração de alguns leitores:
Em Cima. Orquestra BASS: Zé Vieira no piano, Manuel Vieira (Baíco) no acordeon, Manuel Salomé vocalista, Manuel Roma na bateria, João Salomé no violino, António Berbem (Morcela) no contrabaixo, Barradas na trompete.

Em baixo: Conjunto 5 DO RITMO? ( Continua a dúvida do nome ): Zé Inácio no saxofone, Maria Catarina no acordeão, Manuel Roma na bateria, Lila na trompete e vocalista Zé Colunas.


Só lhes posso garantir duas coisas, são ambas de Alandroal e foram fotografadas na década de '50 do século passado.

ADITAMENTO:

Os que acompanham com frequência este blogue, sabem que muito raramente é dado destaque na página principal aos comentários. COMENTÁRIO 5 ESTRELAS, é o nome que costumo dar a esses comentários. O comentário que vou colocar aqui em baixo é um desses, porque é esclarecedor e complementa a postagem principal do blogue. Até porque também estou em total sintonia com o pensamento do comentador em relação à Gala, mas mesmo que não estivesse colocava-o na mesma, pelos motivos que enunciei primeiramente.

Já agora queria agradecer a colaboração ao Francisco Manuel e enviar-lhe um abraço.

COMENTÁRIO 5 ESTRELAS

Ora deixem-me lá meter o bedelho.
Tenho seguido com muita atenção a brilhante ideia da organização desta Gala, à qual só faltarei por motivos imprevistos. Parabéns a todos que meteram ombros a esta tarefa, que muito dignifica a minha terra.

Também, e é com muita pena que tenho que o dizer, custa-me ver que escondidos em comentários há muito boa gente que aproveita para destruir o que devia ser apoiado.A guerrinha Bass não tem qualquer motivo de existir e muito menos chamar de profissionais aos elementos da mesma. Profissionais são todos aqueles que vivem exclusivamente da profissão que desempenham, e segundo julgo saber (porque sou dessa época) todos os Elementos tinham uma profissão principal da qual viviam.

Por exemplo o Manuel Roma era funcionário da Câmara. Manelito Salomé, ourives. João Salomé, ferrador. Barradas, barbeiro. Etc...

Que se diga que tocavam como verdadeiros profissionais, isso sim. Mas catalogar como profissionais, como se fosse o único sustento das suas vidas, isso não.

No meu blogue, já por várias vezes se fez referência à BASS e colocadas fotografias elogiando quem levou o nome do Alandroal para tão longe e inclusive já aqui havia sido lançada (pelo Dr, Berbem) a ideia de dar nome de rua no Alandroal.

Foi na verdade um grande Conjunto à época e ao som do qual muitas vezes dancei ( na Esplanada, nos Casarões do Alabaça e noutras localidades limítrofes). Convém , para bem da verdade dizer que a Bass não tinha uma grande vontade em tocar no Alandroal, e que muitas poucas vezes o fez. Uns diziam que por vaidade, outros porque os elementos que vinham de fora (Redondo), não gostavam das nossas gentes, outros ainda por questões políticas, e outros por falta de recintos apropriados. Verdade seja dita, que os ensaios eram no recanto junto à entrada para a casa do Nicolau e que os mesmos eram assistidos por dezenas de Alandroalenses (como tal não privavam o povo de apreciar a sua belíssima música).

Tenho a certeza que por certo os organizadores deste evento (A Gala) por certo contactaram elementos da Bass. Mas sejamos coerentes: os vivos (talvez até algum esteja presente) à excepção do Vieira do Redondo, por certo mesmo que quisessem dar o seu contributo era de todo quase impossível devido à sua idade e ao tempo em que não devem tocar.

Assim e no meu entender parece-me não existir fundamento para a polémica que se instalou e que de qualquer forma poderá vir a contribuir para ofuscar o brilho desta bonita ideia.

Vamos então ao desafio lançado pelo Varandas:
BASS : Zé Vieira no piano, Manuel Vieira (Baíco) no acordeon, Manuel Salomé vocalista, Manuel Roma na bateria, João Salomé no violino, António Berbem (Morcela) no contrabaixo, Barradas na trompete.

O segundo Conjunto sem ter a certeza julgo que se Chamou os 5 DO RITMO: Zé Inácio no saxofone, a acordeonista Maria Catarina (Filha do Pingalhete da Mina), na bateria o Manuel Roma, o vocalista é o saudoso amigo Zé Colunas e o trompete o Lila.
Então até Sábado se Deus quiser
Um abraço
Xico Manuel

20 comentários:

Anônimo disse...

É grande a minha emoção, desde que sei, que a comemoração das antigas Bandas que existiram no Alandroal, é festejada no Quartel dos Bombeiros Voluntários do Alandroal, acho bem que a Gala seja feita no quartel dos Bombeiros, porque é uma ajuda para bem de todos dos alandroalenses em geral.

Anônimo disse...

A primeira é a grande BASS e que não foi convidada para este evento

Anônimo disse...

Ora, 60 anos depois quem quer você que se convite dessas bandas?! se algum for vivo duvido que tenham vontade e capacidade de actuar!

Anônimo disse...

Ao comentador de 31/01/2011 19:35:00 olhe que a Gala não é no salão dos bombeiros mas sim nas Pirâmedes de São Pedro.

Anônimo disse...

Ao comentador de 31/01/2011 21:34:00, não é mas devia de ser, para bem da população em geral.
O problema é, quando o conjunto «5doritmo» é para ganhar dinheiro,vão para os Bombeiros, quando é para comemorações, vão para as pirâmides?

Isto é que vai aqui uma açorda...

Anônimo disse...

Na segunda fotografia não tenho a certeza de quem são as pessoas e por isso não comento.
Agora, na fotografia de cima reconheço algumas pessoas como: no piano e que também tocava saxofone e mais tarde tocou bateria na BASS está o Zé Salomé Vieira (que está vivo, de boa saúde e continua a tocar); no acordeon está o irmão, Manuel Salomé Vieira mais conhecido por Baíco e que infelizmente já não está entre nós; no violino está o tio deles, João Alferes Salomé Alferes Salomé; no trompete não tenho a certeza mas penso que é o Barradas.

Anônimo disse...

Na 2ª foto reconheço, na bateria, o sr. Manuel Roma, já falecido

Anônimo disse...

E quem fazia o jantar no salão dos Bombeiros? Eram Os Cinco do Ritmo que tinham que pagar a alguem para fazer o jantar? E se o pessoal não aderisse, quem pagava?
Falam, falam mas não dizem nada...

Anônimo disse...

Na fotografia de cima e da esquerda para adireita:José Vieira,Manuel Vieira,Manuel Salomé,Manuel Roma,João Salomé, António Berbem e António Barradas.
Na 2ª fotografia:o da esquerda não reconheço,Maria Catarina,José Colunas,Manuel Roma e José Maria (Lila)

xpto disse...

Ora deixem-me lá meter o bedelho.
Tenho seguido com muita atenção a brilhante ideia da organização desta Gala, à qual só faltarei por motivos imprevistos. Parabéns a todos que meteram ombros a esta tarefa, que muito dignifica a minha terra.
Também, e é com muita pena que tenho que o dizer, custa-me ver que escondidos em comentários há muito boa gente que aproveita para destruir o que devia ser apoiado.
A guerrinha Bass não tem qualquer motivo de existir e muito menos chamar de profissionais aos elementos da mesma. Profissionais são todos aqueles que vivem exclusivamente da profissão que desempenham, e segundo julgo saber (porque sou dessa época) todos os Elementos tinham uma profissão principal da qual viviam. Por
Exemplo o Manuel Roma era funcionário da Câmara, Manelito Salomé: ourives, o João Salomé: ferrador, o Barradas: barbeiro. Etc,
Que se diga que tocavam como verdadeiros profissionais, isso sim. Mas catalogar como profissionais, como se fosse o único sustento das suas vidas, isso não.
No meu blogue, já por várias vezes se fez referência à BASS e colocadas fotografias elogiando quem levou o nome do Alandroal para tão longe e inclusive já aqui havia sido lançada (pelo Dr, Berbem) a ideia de dar nome de rua no Alandroal.
Foi na verdade um grande Conjunto à época e ao som do qual muitas vezes dancei ( na Esplanada, nos Casarões do Alabaça e noutras localidades limítrofes). Convém , para bem da verdade dizer que a Bass não tinha uma grande vontade em tocar no Alandroal, e que muitas poucas vezes o fez. Uns diziam que por vaidade, outros porque os elementos que vinham de fora (Redondo), não gostavam das nossas gentes, outros ainda por questões políticas, e outros por falta de recintos apropriados. Verdade seja dita que os ensaios eram no recanto junto à entrada para a casa do Nicolau e que os mesmos eram assistidos por dezenas de Alandroalenses (como tal não privavam o povo de apreciar a sua belíssima música).
Tenho a certeza que por certo os organizadores deste evento (A Gala) por certo contactaram elementos da Bass. Mas sejamos coerentes: os vivos (talvez até algum esteja presente) à excepção do Vieira do Redondo, por certo mesmo que quisessem dar o seu contributo era de todo quase impossível devido à sua idade e ao tempo em que não devem tocar.
Assim e no meu entender parece-me não existir fundamento para a polémica que se instalou e que de qualquer forma poderá vir a contribuir para ofuscar o brilho desta bonita ideia.
Vamos então ao desafio lançado pelo Varandas:
BASS : Zé Vieira no piano, Manuel Vieira (Baíco) no acordeon, Manuel Salomé vocalista, Manuel Roma na bateria, João Salomé no violino, António Berbem (Morcela) no contrabaixo, Barradas na trompete.
O segundo Conjunto sem ter a certeza julgo que se Chamou os 5 DO RITMO: Zé Inácio no saxofone, a acordeonista Maria Catarina (Filha do Pingalhete da Mina), na bateria o Manuel Roma, o vocalista é o saudoso amigo Zé Colunas e o trompete o Lila.
Então até Sábado se Deus quiser
Um abraço
Xico Manuel

Anônimo disse...

Pois amigo chico manuel, os 5 do Ritmo, penso eu que é da mesma altura do Novo Horizonte, onde o zé colunas fazia parte, pelo menos é o que está publicado pelo Srº Ilidio no blog www.almusica.blogspot.com,
Mas e então o segundo conjunto não era os Pais e Filhos?

Anônimo disse...

Caro Xico o Zé Vieira ainda continua a tocar! É saxofonista na Orquestra Planície e na bande de Montoito!

xpto disse...

Mas é isso mesmo que eu escrevi "Excepção ao Vieira". No meu entender seria talvez o unico que poderia ainda fazer uma "perninha". No entanto não tenho os conhecimentos musicais suficientes para saber se o folego e as "embucaduras", suponho ser isto a que se chama soprar num instrumento de sopro ainda se mantém quer no Barradas quer no António, devido não só à idade mas também pela falta de treino.
Faço é votos para que possam estar presentes.
Xico Manel

Anônimo disse...

Não se trata de por os "VELHOS " a tocar mas sim de reconhecer o que de útil fizeram.
Não sou tão velho quanto o Chico Manel mas talvez tenha mais memória pois lembro-me de ouvir a Bass nos almoços de angariação de fundos para a Casa do Concelho do Alandroal onde tocavam à borla.Lembro-me também dos ouvir na esplanada com o mesmo fim.
Isto tudo antes da dita Casa ser entregue aos polícias e depois estinta.

Anônimo disse...

O comentário do Xico Manel publicado em destaque está perfeito. Espero que o evento também resulte. Boa iniciativa.

Anônimo disse...

Óptimo comentário Xico Manel! São francamente vergonhosos alguns comentários que aqui aparecem, sobretudo pelo seu carácter destrutivo e derrotista, do tipo, vão fazer mas mal feito. Que mal tem não irem todas as bandas que existiram na terra, vão algumas, e então? Alem de que, como diz o Xico Manel, os vivos já são velhotes,mas gostava de os ver lá, a assistir.

Anônimo disse...

Alem de que, como diz o Xico Manel, os vivos já são velhotes,mas gostava de os ver lá, a assistir.

01/02/2011 18:52:00


Companheiro(a) é muito feio levantar falsos testemunhos, é que achei muito estranho aquilo que escreveu como se fosse o Chico Manuel a escrever e como não acreditei porque o conheço bem, fui ver e não é nada disso que ele diz! Como tal o sr ou srª. são uns bons pantemineiros e como tal não merecem crédito. É que essa dos vivos já serem velhotes deve-se aplicar na totalidade à sua pessoa, e olhe que há velhotes com muita pouca idade,......

Anônimo disse...

A 2ª.fotografia deve ser da época de 60 e a acordeonista parece-me ser a M.Catarina de Bencatel, que estudou aqui no Externato.

Anônimo disse...

Os primeiros ensaios da BASS foram ao pé da Quinta do Arco, num casão onde está hoje o prédio do Martins.

Anônimo disse...

Caro Comentarista das 18:42 de 03 de Fevereiro: Pode fundamentar a sua afirmação em como os primeiros ensaios da BASS foram num casão junto á Quinta do Arco?

Abraços agradecidos